quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

Fotografia Diária


Acordei,
vejo neblina
tudo é possível em
céu claro
Chuva todos os dias,
sol encardido.
O carrinho de gás que passa
publicidade de hora marcada
sempre a mesma canção de covencimento
mal conseguimos ouvi-lo nesta fotografia de calmaria.
Da varanda vejo pilar que escorre suor imputável.
Pelas artérias porosas
vapores infiltram partículas
A noite acontece
tudo se repete
(...)êxtase
mais uma noite que
ilusões gotejam nesta maquete
calçadas escuras
suspiros passam
não mudou nada
gritos
saudades
voam!

6 comentários:

UMA PAGINA PARA DOIS disse...

não quero partir
porque não há chegada,
a ponte do sonho caiu,
sem margens
a minha rota
atravessa o suor
de gaivotas poisando,
pétalas de sorrisos
sugam-me os lábios
salpicando o meu rosto,
és uma flor ?
pergunta-me o vento,
não, não sou nada,
quero ser o mar
simplesmente,

poetaeusou


Uma bela semana pra você...
Abraços

Daniel Costa disse...

Delírios das Borboletas

A bem enquadrada fotografia, um interessante poema. A visão de um mundo real, onde tudo pode mudar, ficando sempre imutável.
Daniel

Daniel Savio disse...

Profunda a poesia, mas não é apenas em dia com sol que dá para realizar um sonho, principalmente aqueles picantes...

Fique com Deus, menina.
Um abraço.

Carla Fabiane disse...

naqueles momentos em que, por algum motivo, se sintam sem forças. Naqueles momentos em que só consigam ver nuvens escuras e ameaçadoras a pairar sobre a sua existência ou simplesmente se esqueceram de como um pôr-do-sol pode ser belo. E poder assim fazê-los voltar a sorrir, sentirem que a natureza ainda lhes pode oferecer tanta coisa maravilhosa.
beijos
luz e paz!

Paulo Roberto! disse...

Olá, tem dois selinhos pra ti no meu blog! ^^!!

Espero que goste, abraços!! ^^

traços de um homem disse...

Belissima imagem,gostei muito.
Texto perfeito.
Puxa sem palavras mesmo!!
Beijos

Related Posts with Thumbnails

add this