sábado, 26 de dezembro de 2009

O CÉU SUMIU

A dor passa cortando o infinito
infinitamente///
/sem deixar alternativas
faz lembrar o quanto cavalguei pelas montanhas
corri /
/dancei
ainda bem que andei/
Fiz muita festa pra Deus e pra mim mesma///
hoje estou incompatível com a realidade
as vezes me sinto um vaso florido/
/desenhado a mão
de pintura artesanal e pura magia
ingênua flor ao vento ///
relento///
condensada no dia
de dor e sofrimento
tentando não armazenar nem mesmo temporariamente
o que sinto agora
e o que senti antes
para que daqui a cinco minutos eu tenha me esquecido
e quem sabe poder ser
um pouco feliz
sem aquela infinita dor que me assola
que corta e recorta a minha vida.
Determinada pelo que passei e vivi no inicio e nos últimos anos.
Queria ter uma função térmica para que num passe de mágica aliviasse essa dor
queria aproveitar cada segundo
com a capacidade de um disco magnético regravável
assim poderia apagar tudo e começar
a viver de verdade e gravar uma nova e bonita história.





domingo, 13 de dezembro de 2009

MISTÉRIOS NAS TRILHAS


Nos braços da cruz cantavam...corujas enquanto os pássaros dormiam
mistérios nas trilhas/
várias vezes me guiei por eles/
noites sem lua cheia
vultos passavam
imagino hoje como trilhas tão perfeitas e profundas surgiram ali
único caminho em noites escuras
para que pudessem nos guiar a qualquer lugar
carros de boi passavam rangendo
deixando rastos de várias vidas
escrevendo linhas pontilhadas na terra crua e fresca
cheirosa... berrava
canarinho chorava ao subir a montanha
mas seguiam rumo a cidade que/// ainda não tinha buzinas
nem regras
tudo sereno///
reinava paz na cidade
pelo caminho haviam algumas cruzes e medo de lembrar da história
sempre havia uma e mais uma história
sem asas
sem vozes
///vultos
se fosse gravado ...
até hoje os trilhos estão lá curtindo o silêncio
....talvez menos importante
os passantes já possuem lanternas
e não há tanto mistério...
mas os trilhos continuam felizes ligando coisas
histórias
pessoas
simples e felizes
sem asas
sem vozes
trilhos tortuosos cegos e perfeitos
descrevendo a linha do horizonte
da vida ali
que quando pequena
foi único caminho que conheci
além do arado sangrando a terra ...e...
matracas cravavando em música
as sementes ///
/sinais de fartura a ser colhida no próximo verão
carros de bois andariam cheios de colheita
de uma menina nublada
voando
iluminada
querendo ser feliz.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

REALIDADE DE UM AMOR SONHADO


Estar sem ti agora
infeliz tu estarás
........
sinto sutis arrepios
no teu ser imagino estar agora
mesmo que não houve nenhum
imaginei ter recebido todos por te amar tanto.
Você pode ter pretendido, mas foi formal na prática.
vontade inabaláveis
visitarei te sem requintes
mas sei que tu gostas da extrema perfeição
a minha falta de perfeição não permitiu dar te prazer
talvez tenha me faltado excesso de ser puramente calculada.
aspirações infundadas
com delírios esmerados em ti
ficção de um amor vivido sem a perfeição desejada
que é a realidade de um amor sonhado no mais alto grau possível.
...
...delírios
insaciáveis prazeres
...ainda não os terminei...


quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Desilusão

...Tristeza

Instalado aqui

O horror se fincou

Já não sabia a quem gritar

Perdi-me em tamanha dor

Tanto engano ao meu ser

Ah, soubera...eu, não teria vindo

Se agora estou tão longe

Perto de ti

sozinha

Queria ir para sempre

Não estar

Não viver

Não sofrer

Traçados dias sofridos

Períodos infinitos

Muita coisa aconteceu

E eu resisto

estou aqui.

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

MANHÃS DE ORVALHO


/...Acordei
manhã de orvalho/
Assim como todas as outras
dos anos vividos no recanto das veredas...
...das montanhas que passei no caminho da escola/
bem cedinho o suor do sereno escorria por entre minhas
pequeninas pernas
avermelhando-as
Irritando minha pele com gotinhas geladas deixadas por uma noite fria.
Mas nem mesmo o orvalho/
o sereno/
o frio gelado que transpirava pelas gramas e capins dos trios da escola/
me fizeram hesitar/
desitir de seguir rumo ao caminho das palavras/
Poesias aquecidas em madrugadas de inverno
clareavam madrugadas escuras/
viraram brisa no verão/
...no sabor do saber mais do que somente o orvalho
o sentir da vida ali sem influências/
//o brilho... cega alguns personagens/
//Idéias muito diferentes /
sentimentos selecionados//
Acordei//
manhãs de orvalho/
///Hoje vejo você que completa minhas palavras///




domingo, 2 de agosto de 2009

UMA CARTA DE AMOR




Aqui tem muita história de uma mulher que ama
que teve a alegria de
poder ter tido a oportunidade de conhece-lo.
Mostro-me orgulhosa que um dia fomos muito felizes/
Um livro marcado de amor /

carinho/
sensibilidade/
/ternura/

relatos de noites e dias de amor/
de dor/
mas também de poesia.
Uma rotina de papagaios interferiu em nossas vidas
ocupando algum espaço indefinido
oprimindo-nos em vividas histórias de dor
histórias comuns aos loucos/
memórias de amor/
chinelos e cobertores
foram testemunhas do amor
sobre os dias absolutamente únicos/

privilegiados de tanta alegria
frio e ternura

companheirismo/

amizade/
cumplicidade/

hoje ocupo espaço indefinido;
Um livro marcado de histórias de amor.
Marcados pela memória
Capaz de sobreviver a qualquer turbulência
de maneira generosa e poética em nome do amor.

segunda-feira, 27 de julho de 2009

VOCÊ É POESIA

(como no amor, para fazer poesia é necessário despir-se do que não somos nós (e talvez por ser poesia a matéria que inundava aquele rio, nós pudemos nos esquecer ali, flutuando em rumo ao flutuar, em rumo à poesia e a nós (só agora posso dizer a você: corpos celestes fertilizaram aquelas águas. Ainda vejo fragmentos deles em seus olhos (talvez seja por isso que os homens nunca vão entender caso não vejam: não há, a não ser que consideremos ser a poesia matéria, o que ela pode ser (mas só caso o homem queira ser poesia

quinta-feira, 23 de julho de 2009

MEU CHEIRO É SEU


"(...)Estou aqui pensando no quanto és importante em minha vida passada
nela presente
FOLHAS SECAS
pétalas em ti
...correndo como pássaros
...voando em meu coração(...)"
Quero agora dizer-lhe
minha vida é você
...sem teu amor sou cerrado
...mais seco que o outono
...mais frio que o inverno
meu amor aqui escorre
por montanhas e planícies
mas também vai até você ai no norte
que ao me ver se envaidece.
Sei se tu me sentes
como te sinto agora
sou feliz com seu cheiro
sua pele aquece a minh`alma
e acalma meu coração
""...seu cheiro és o meu mais intenso perfume
o meu estará eternamente em você
seu perfume(...)"
"EU NÃO TROCAREI VOCÊ POR NADA DESTE MUNDO, SEM QUE VOCÊ QUEIRA"

sábado, 4 de julho de 2009

MINHA VIDA


Minha vida
estou no mundo aqui perdida
sou aqui da vida do norte
estou de luto incompreendida
imaginando minha vida sem você/
ouvi meu nome
sem saber de onde veio
do além aqui eu respondi
me assustei quando levantei
mas, a vida não encontrei
talvez sou a visão que alguém sonhou
sinto meu coração no barco onde a vida pousar///
Esta tão rara flor
voou de minha alma
nunca mais entendi tristes olhos olhando a mim
tristes olhos olhando a ti
ou a ninguém.
Talvez a noite eu nunca saiba quem sou
nem mesmo o que tenho
tudo é pó
tudo é nada

até o amor chegar.
Bendita seja você por me dizeres
Minha dor não falará
Minha dor anda só.

sexta-feira, 26 de junho de 2009

VOCÊ

/Por debaixo daqueles pilares
carregados de esforços verticais
existe um avanço de deformações/
Como se fóssemos medir um fio de cabelo
no mesmo ambiente
//respeitando a lei da natureza//
não perdendo assim o respeito pelo outro
que
debaixo de uma árvore

inventava fórmulas
teoremas de (....)de tanto Pó
to
Ta ta ta ta
montando uma expressão
de energia sem tecnologia
sem medidas
Acreditas?/
Chegamos então a concluir que//
para todos os fatos
a desejada função apresentava todos

os resultados matemáticos usados até então/
Se fizeram respeitados//
havia indicações de que não teria deformações
Tudo se fazia com muita perfeição/
Sem transformações
//Sendo menores ainda comparados entre si//
/Na flexibilidade
estabilizando sem resistir
Sendo assim o mais flexível possível
na estrutura de uma de suas vidas//
Você olha
ele olha
você olha para ele/
Você até olha
mas se dará por vencido
que///
/Uma estrutura é você/

domingo, 21 de junho de 2009

Minha música

(Adriana Calcanhoto)

Minha música não quer ser útil
Não quer ser moda
Não que estar certa
Minha música não quer ser bela
Não quer ser má
Minha música não quer nascer pronta
Minha música não quer redimir mágoas
Nem dividir águas
Não quer traduzir
Não quer protestar
Minha música não quer me pertencer
Não quer ser sucesso
Não quer ser reflexo
Não quer revelar nada
Minha música não quer ser sujeito
Não quer ser história
Não quer ser resposta
Não quer perguntar
Música quer estar além do gosto
Não quer ter rosto, não quer ser cultura
Minha música quer ser de categoria nenhuma
Minha música quer só ser música
Minha música não quer pouco

Colaboração: Raquel Nava

Sonho


Saudades me vejo,
buscando meu sonho.
Que desce correndo
no vento da alma.
Em linhas suaves
circuitos urbanos,
sentimentos sofridos
no mistério de um sonho/
/frequência contínua

segunda-feira, 15 de junho de 2009

UMA CAMA VIDA MINHA

Uma chama

uma cama

vida uma

base minha

uma chama

nossa vida

uma rocha

que suporta//

temporais//

nossa vida uma chama

que inflama

que passa

perpassa

em flores/

em pétalas//"

minha vida é você//

que passa/

/me arrasta correnteza

que me leva flutuando pelo rio abaixo//"

vida minha"""//

domingo, 14 de junho de 2009

SILENCIOSAS RISADAS

-->
Que te lembres agora
Silenciosas risadas lançadas ao vento
Completam emoções a distancia
Que, perdida na estrada derramam
Dispersam tempestades avessas
soltas na fé da dura rotina
claream ruínas ainda que morrerás daqui a pouco,
Uma loucura de generais a cavalo
Bramidos em fogueiras
\OLHOS na janela do dia refletem meditativa mediação\
Temporais maciços, macróbios
sem opções surgem opacos /
renovam irradiantes
retratando o sabor de cada loucura
no seio da luz do amor perdido ali sem seduzir
cada partícula que passa registra o círculo
incumbem de nos lembrar agora
silenciosas risadas//

-->

terça-feira, 2 de junho de 2009

POESIA DE FERNANDO PESSOA

Não sei quantas almas tenho.
Cada momento mudei.
Continuamente me estranho.
Nunca me vi nem acabei.
De tanto ser, só tenho alma.
Quem tem alma não tem calma.
Quem vê é só o que vê,
Quem sente não é quem é,
Atento ao que sou e vejo,
Torno-me eles e não eu.
Cada meu sonho ou desejo
É do que nasce e não meu.
Sou minha própria paisagem;
Assisto à minha passagem,
Diverso, móbil e só,
Não sei sentir-me onde estou.

Por isso, alheio, vou lendo
Como páginas, meu ser.
O que soque não prevendo,
O que passou a esquecer.
Noto à margem do que li
O que julguei que senti.
Releio e digo : "Fui eu ?"
Deus sabe, porque o escreveu.

Fernando Pessoa

quinta-feira, 21 de maio de 2009

Na Correnteza do Rio


Uma chama

uma cama

vida uma

base minha

uma chama

nossa vida

uma rocha

que suporta//

temporais//

nossa vida uma chama

que inflama

que passa

perpassa

em flores/

em pétalas//"

minha vida é você//

que passa/

/me arrasta correnteza

que me leva flutuando pelo rio abaixo//"

vida minha"""//

domingo, 3 de maio de 2009

PRAZER





Meu amor anda solto/
/nesta cidade invisível/
pouco provável/
/Tem sabor de miragem
/(.....)Imerso/
(.....)Imenso/
/Meu amor é criança// num sonho imenso/
/em movimentos
gestos/
brinca na ladeira
espiando espantos/
/Estranhos pensamentos/
Farejam brisas/
Transam beijos/
Outros seres além dos olhos do sol
Franzem a testa/
rompem caminhos/
...Polindo a dor/
/Consagrado apenas por estar vivo/
/Nossos erros
-motivos suficientes o bastante para toda
lágrima sair faísca/-
Apenas estar vivo não é milagre/
/Mesmo que a metafísica duplique essa memória ...
"...Outra pessoa"
/alguém que nos transe um beijo/
/Que a química alucina/
/ põe direção/
/// vence/
/// molha.../
"/Acende as artérias num tráfego intenso/"
"/rouca voz/"
lentamente/
/Mirando a imagem
/Deste querer consagrando/
ser pássaro/
onde não há nenhum/
///Ser onde///
Onde não há ninguém/
Assim o quebra cabeça celebra///
processa pensamentos/
Numa cidade imaginária/
/na gravidade não havia ninguém
/Somente o peso e o volume do movimento
/espessura invisível.../
não há respiração/...
“prazer único”...
beijos alucinantes no corpo nú///
"/Uma cidade invisível
/delírios...

sexta-feira, 1 de maio de 2009

DELÍRIOS



..."ESCREVER É MINHA RIQUEZA...
MINHA VIDA É ESCREVER
ESCREVER É MEU SILÊNCIO
MINHA VIAGEM ESCRITA /
DEIXEI NAS ESTRELAS"...


PENSAMENTOS-GABRIEL GARCIA


“Escrevo para que meus amigos me amem ainda mais.”
(Gabriel García Márquez)

quinta-feira, 30 de abril de 2009

NOITE SILENCIOSA

...Uma madrugada silenciosa
se não fosse aquele lençol suavemente me acolhendo
como se alguém estivesse ali colado em mim
tinha vida
respirava em silêncio ao meu lado
foi o encontro de mim comigo mesma
algo superior do outro lado/

/prazer e satisfação ao mesmo tempo
(...)
gozo da ternura
tudo junto de mim ali
silêncio total
a união de mim comigo mesma
paz
pureza
o frescor daquele lençol ali me acariciando foi intenso
queria que durasse por toda minha vida.
Manhãs de inverno respirando flores estampadas pela janela
suave noite de conhecimento...



terça-feira, 28 de abril de 2009

PENSAMENTOS DE MANOEL DE BARROS


PENSAMENTOS DE MANOEL DE BARROS
O maior apetite do homem é desejar ser. Se os olhos vêem com amor o que não é, tem ser.
Passava os dias ali, quieto, no meio das coisas miúdas. E me encantei.

A maior riqueza do homem é a sua incompletude. Nesse ponto sou abastado. Palavras que me aceitam como sou - eu não aceito. Não agüento ser apenas um sujeito que abre portas, que puxa válvulas, que olha o relógio, que compra pão às 6 horas da tarde, que vai lá fora, que aponta lápis, que vê a uva etc. etc. Perdoai Mas eu preciso ser Outros. Eu penso renovar o homem usando borboletas "E FLORES"

Quem anda no trilho é trem de ferro, sou água que corre entre pedras: liberdade caça jeito.

Quando as aves falam com as pedras e as rãs com as águas - é de poesia que estão falando.

MURILO, ESTES PENSAMENTOS SÃO EM SUA HOMENAGEM, QUE VOCÊ TENHA MUITA PAZ E SEJA MUITO FELIZ.

sexta-feira, 24 de abril de 2009

O amor é imortal


Um homem que sabe amar nunca vai embora
ele sempre estará presente na vida da sua amada
ele será inesquecível
tem cheiro de rosas vermelhas
com o amor ninguém consegue acabar
ele nos acompanha mesmo que em silêncio total
O amor é imortal
silencioso
por isso pensamos que ele foi embora
mas não
ele estará sempre presente
em nossas vidas
o prazer de ser amado
é o melhor prazer
delírios

quarta-feira, 22 de abril de 2009

AQUARELA


Sinto-me um férmio
tangendo a impressão de contrariar-te .
Quero mesclar-te a mim em cores diversas.
Quero que você seja meu quadro
minha pintura
seu sorriso
em cores diversas
em minha boca aquarela.

domingo, 19 de abril de 2009

Só Deus sabe quanto amei VOCÊ

Chegou a reconhecê- la no tumulto através das lágrimas da dor que jamais se repetiria de morrer sem ela, e a olhou pela última vez para todo o sempre com os mais luminosos, mais tristes e mais agradecidos olhos que ela jamais vira no rosto dele em meio século de vida em comum, e ainda conseguiu dizer-lhe com o último alento:

- Só Deus sabe quanto amei você.

- Gabriel Garcia Marquez in “O Amor no Tempo do Cólera”

http://poetriz.wordpress.com

sexta-feira, 17 de abril de 2009

"MATARAM IRMÃ DOROTHY" ESTREIA HOJE NO BRASIL

ESTÁ É UMA POESIA
COM CENAS TRISTES
AO MESMO TEMPO .

quarta-feira, 15 de abril de 2009

PRAZER


Que prazer é este estacionado em tua mente,
Que me deixa fincada nessa gazua,
gelada
silenciosa.

domingo, 12 de abril de 2009

Silêncio


Palavras vão surgindo por caminhos incertos
Tempestades sinuosas passam por suas artérias latentes
respirando água dos rios
enquanto isso nas nuvens tocam
suaves melodias gotejam
segredo
caminho sem fim
dias e noites marcadas
silêncio na noite segue
dias se vão
você
brisa suave que escorre em meu corpo
filtrando pensamentos
viagens eternas
sentimentos vão brotando a cada segundo
em ti
em mim


segunda-feira, 6 de abril de 2009

Amor Eterno



A lua cai de mansinho em minha rua
fiquei a tua espera
para dizer que te amo
o sol nasce
a chuva
as tempestades passam
o meu amor continua maior ainda
nem o sol
nem a lua
nem mesmo a terra
tem dimensões
a que poderia comparar ao meu amor por ti.
A eternidade não tem dimensão.

sexta-feira, 3 de abril de 2009

TURBULÊNCIAS


Nesta turbulência não consigo encontrar a paz.
Nesta turra não consigo encontrar você,
Não te turves diante do seu amor.

quinta-feira, 26 de março de 2009

IMPULSOS



Multidão vestida
no meio aos que querem tão pouco,
cilada de ombros largos.
Nos cercaram causando medo,
ansiedade.
Acima passavam aqueles que na pureza do impulso
só queriam atropelar-nos,
ouvintes barbados e infantis.
Contribuem auto confiantes.
Mente duvidosa flui de relance agora(...)
brilhante e fria,
como túmulos de mármore no inverno.
Não houve diálogo(...)
qualquer que fosse uma humilde conversação,
homem dos outros
Inúmeras luzes pardas surgem substituindo a letra
a terra
(...)e as estrelas,
isso, para não falar das flores
perdidas pelo caminho.
Propus me a escrever para não esquecer da relva molhada
que quando criança conheci nas madrugadas a caminho das letras
todos os dias melodia de mim mesmo
A relva
as flores
vertentes e chapadões
o mistério do arco íris(...)
tudo me dava vida
E o sonho de poder estar aqui
escrevendo este poema pra você agora.

domingo, 22 de março de 2009

DESPEDIDAS SÃO ASSIM - JANE LAGARES


Com cara de chuva que inunda, com cara de noite que tira luz, com cara de perda do que nunca se teve...
Vêm, apenas vêm.. tira de nós algo de brilho, algo de bom.. algo de nosso, algo de alguém.. apenas vem..

Despedidas doem, arrebatam a alma, trazem à tona tristeza.. a lágrima aflora...
O peito estoura,
Num combinar fúnebre...
No véu do não mais olhar...

Seja lá que despedida for, só conheço uma boa: a despedida da tristeza..

Mas essa a alegria cobre... nem se vê como despedida.. inundada pelo bem-estar, o bem querer de ter a vida.. e, na vida, a felicidade..
Despedidas, dos que vão por ciclo natural da vida.. dos que vão por opção, dos que têm que ir... dos que a vida distanciam, por tudo que reside nela.. pela hora errada, pela situação errada.. na vontade suprimida em cada um..
Mas, se tem que ter despedidas, tchau, enfim...

Alguém sai da sala de nossas vidas...
Obrigada por momentos maravilhosos.
VOCÊ SERÁ INESQUECÍVEL

JANE LAGARES

sexta-feira, 20 de março de 2009

O ritual da Inteligência sem amor


De aparência serena/
fragmentado em muitas faces/
É a descrição que faz de si mesmo.
Elétrico/
evidenciado.
Sempre tentando nivelar num sino ritualizado/
cumprimento de suas obrigações.
Capaz de ser mais certo que os mistérios/
catalogando e calculando tudo num rítimo infreável.
Através dos fatos cerimoniados/
razão da caminhada(...)
O homem que caminha assim está fora do tempo/
além de sua capacidade de frear.
Uma listagem sequêncial de acontecimentos detalhadamente
Exuberante dentro de sua própria criação/
com o seu gênio/
silencioso. o impede/
Visão de uma caminhante(...)
Curiosamente abstrata!
O relâmpago passa/
o que pouco diferencia de mim.
``(...)Através dos fatos e da razão caminha"/
-Sua mente-
sua figura para mim é curiosamente muito abstrata.
Está é a visão de um de um homem paradoxal/
Migrando milagrosamente numa simples viagem/
/maquete de inteligência humana/
"É maravilhoso e improvável o que é impossível"
viver sem prazer.

segunda-feira, 16 de março de 2009

DESENLACE HISTÓRICO


Toda solene noite possui um grande homem/
de traços marcantes/
hemisfério de incertezas/
num desenlace histórico e decisivo(...)
existência quadrada/
imprevisivel/
fechado.
Portaria do inverso/
interação dificultosa/
indiferente/
fantasiosa.
Cai sobre pedras e ervas daninhas/
Lamparinas baratas que iluminam minha história/
num ar seco de verão prematuro/
quadrada existência.
Fusão de si mesmo/
permanencia de incertezas/
polaridades.

Maria de Fátima Borges magalhães

domingo, 15 de março de 2009

A Porta


As portas são muito importantes em nossas vidas
é delas que saímos
e entramos na vida das pessoas
por elas passamos quando sentimos prazer em estar ali
Eu amo as portas
elas me dão prazer intenso de
abrir e fechar
sempre que estou a procura de algo importante
me abrem e fecham no prazer da satisfação
de cada dia vencido
o intenso gozo de ter conseguido
...
a porta...
passei por várias
prazer sentido por uma porta
só quem passou por várias sabe o que é.
uma porta aberta
ou fechada
[...]
uma porta
um espaço
uma vitória
sensação emocionante.
passar por uma porta fechada ou aberta.

Mar de Desejos



(...)Desejos do prazer que arde
a cada minuto apertado
sentido
no prazer da hora que embora
passastes
agora no fogo das águas límpidas
em seu corpo nu
me envolvo suada só no pensar
quão arderão despir-nos
a noite
sua boca molhada
tertúlias de desejos(...)


sábado, 14 de março de 2009

Desejo


Meu desejo
seus lábios
seu sorriso(...) me alegra
um sorriso seu
me completa
desloca
coloca em suspensão
numa tentação fluorescente
fracionada de bocas
e olhos
sem regras
um brilho intenso
seu sorriso(...)
clareia minhálma num curato cimeiro
seu sorriso (...)
sua boca
luminosa
me segura
seda -me
me enlouquece
de desejo.

quinta-feira, 12 de março de 2009

VIDA


Vida(...),
não para de passar.
enorme loucura,
festivais sujeitos a serem reais.

terça-feira, 10 de março de 2009

UM HOMEM E A REALIDADE


Certamente já vivi uma vida de alegria contigo
homem compacto
deliberadamente estabelecido em aparências(...)
incitado porém reafirmado-(...)-,
certamente já vivi uma vida de alegria contigo.

Passos largos
rápidos
olhar firme
se transforma em moldura
com detalhes minuciosos

Modelo singular
sem qualquer risco
Sem demonstrar nenhuma vontade de indultar-me
ou a si mesmo(...)
Vai embora sem nenhuma citação
Sem saber se possui o bem da terra
movimentos juntados em seu corpo
são filtrados em si mesmo
em linhas silenciosas...sem sentimentos
reais.

segunda-feira, 9 de março de 2009

FICA COMIGO ESTA NOITE



Pobre pássaro
tu que cantas para mim todos os dias,
sem fantasias
grandiosa poesia
alegria em dias pardos
uma multidão de luzes
e- pensamentos estavam lá-(...).

Confissão


esperando pela morte
como um gato
que vai pular
na cama

sinto muita pena de
minha mulher

ela vai ver este
corpo
rijo e
branco

vai sacudi-lo e
talvez
sacudi-lo de novo:

“Henry!”

e Henry não vai
responder.

não é minha morte que me
preocupa, é minha mulher
deixada sozinha com este monte
de coisa
nenhuma.

no entanto,
eu quero que ela
saiba
que dormir
todas as noites
a seu lado

e mesmo as
discussões mais banais
eram coisas
realmente esplêndidas

e as palavras
difíceis
que sempre tive medo de
dizer
podem agora
ser ditas:

eu
te amo.


Um poema de amor

todas as mulheres
todos os beijos delas as
formas variadas como amam e
falam e carecem.

suas orelhas elas todas têm
orelhas e
gargantas e vestidos
e sapatos e
automóveis e ex-
maridos.

principalmente
as mulheres são muito
quentes elas me lembram a
torrada amanteigada com a manteiga
derretida
nela.

há uma aparência
no olho: elas foram
tomadas, foram
enganadas. não sei mesmo o que
fazer por
elas.

sou
um bom cozinheiro, um bom
ouvinte
mas nunca aprendi a
dançar — eu estava ocupado
com coisas maiores.

mas gostei das camas variadas
lá delas
fumar um cigarro
olhando pro teto. não fui nocivo nem
desonesto. só um
aprendiz.

sei que todas têm pés e cruzam
descalças pelo assoalho
enquanto observo suas tímidas bundas na
penumbra. sei que gostam de mim algumas até
me amam
mas eu amo só umas
poucas.

algumas me dão laranjas e pílulas de vitaminas;
outras falam mansamente da
infância e pais e
paisagens; algumas são quase
malucas mas nenhuma delas é
desprovida de sentido; algumas amam
bem, outras nem
tanto; as melhores no sexo nem sempre
são as melhores em
outras coisas; todas têm limites como eu tenho
limites e nos aprendemos
rapidamente.


todas as mulheres todas as
mulheres todos os
quartos de dormir
os tapetes as
fotos as
cortinas, tudo mais ou menos
como uma igreja só
raramente se ouve
uma risada.

essas orelhas esses
braços esses
cotovelos esses olhos
olhando, o afeto e a
carência me
sustentaram, me
sustentaram.

CHARLES BUKOWSKI

sábado, 7 de março de 2009

GEOGRAFIA DA FOME


"Xiquexique, mucunã
Raiz de imbu e colé
Feijão brabo, catolé
Macambira, imbiratã
Do pau-pedra e caimã
A parreira e o murão
Maniçoba e gordião
Comendo isso todo dia
Incha e causa hidropsia
Foge, povo do setão"


"Marchemos a encarar
Trinta mil epidemias
Frialdade, hidropsia,
Que ninguém pode escapar.
Os que vão para o brejo vão
Morrem de epidemia
Sofrem fome todo dia
Os que ficam no sertão"

Josué de Castro

sexta-feira, 6 de março de 2009

Partículas Suspensas


Desenham-se corpos Inquietos
sem rostos(...)
invisíveis.

Improvisam a alma
Enriquecem a valsa
mergulham despercebidas

Sombras sem fendas
gritam no deserto povoado
expectativa de vida (...)
partes de nós.

quinta-feira, 5 de março de 2009

NOITES ETERNAS


A noite adormece
todos dormem
estarei voando
noites eternas
Diga-me que não eternizo tuas noites?
infinitas madrugadas(...)

PRAZER



Que prazer é este estacionado em tua mente,
Que lhe deixa fincada nessa gazua,
gelada e geniosa.

VOLTAIRE

Todo o homem é culpado do bem que não fez. (Voltaire)

http://ferroada.blogspot.com/

quarta-feira, 4 de março de 2009

Solidão



Da solidão comigo
Sóbria, velha casa
morada ou esconderijo
da solidão com você

VIDA


Vida(...),
não para de passar.
Loucura pesada,
festivais sujeitos a serem reais.

Cinzas



Havia um descanso solitário

sem arvores

araucárias

Até imaginei estar no Paraná

Nas curvas da estrada em trilhas profundas

sem cotas

sempre uma arvore entre rios

postes era o desenvolvimento de nossas divisas.

Numa viagem longa

Pouso Alegre passava e cercas ficavam

Nos cortes da estrada

águas corriam

O sol se escorria

Na sombra dos pássaros

Que capoeiras avistavam

Na terra cravada por grades ou bois

Ali se saía o alimento da estação

Que seria vendido

Então catirado

Ganhou nome está tela de Leme a Gerais.

No caminho das artérias elétricas

Espalhadas nos céus das florestas

montanhas navegavam em veículos apressadamente

Imaginando um sonho que você tinha dito

Mas não havia sentido

Se ninguém merecia

A vida tem destas compensações

O canavial fica cortado aos ventos

Entre cinzas freqüentes

da neblina que no vale se dava ao luxo horizontes(....)

Entre serras nevava os meus pensamentos

Do gelo da terra se via o silêncio

como borboleta

jorrando poesia(...)

Fotografia




Olhando a pintura(.....)

Tu não verás nada.

há silêncio endereçado

Dançando com retratos na escuridão

Ganhando corpos.

Vindos a ti(....)

Colocando em movimento a memória

fotografia será apenas documentos

personagens(...)

vindos de outro mundo

Surgindo entre o vazio e a pintura.
Related Posts with Thumbnails

add this